Desde meados deste ano o Google tem deixado mais claro que não gosta de sites inseguros, defendendo a adoção do HTTPS. Quando o endereço de um site começa com HTTPS e não com o anterior HTTP, isso significa que a página possui o certificado SSL/TLS.

Esse certificado é responsável por validar o site e criptografar informações que o usuário envia ou recebe dele. Isso torna o visitante mais protegido.

No Google Chrome, sites que adotaram o recurso apresentam um cadeado no início da barra de endereços.

 

 

Já os que não adotaram, podem exibir um aviso de site não seguro quando o usuário tenta acessar a página, principalmente aquelas que pedem informações pessoais, desde email até o número do cartão de crédito.

 

Se o seu site ainda não tem o certificado, vale correr atrás disso antes da Black Friday, pois o anúncio de site não seguro pode espantar seus compradores em potencial.

Dê atenção especialmente às páginas de checkout, nas quais o usuário precisa fornecer informações sensíveis.

E os problemas vão além da data, pois a tendência é que o buscador também priorize páginas seguras como fator de ranqueamento.